Eu aceito os cookies deste website.

Usamos cookies para fazer este website melhor. Para saber mais sobre estes cookies, por favor, leia nossa Política de cookies.. Caso você continue sem alterar as suas configurações de cookies, você estará consentindo com seu uso. Porém, caso você tenha interesse em remover nossos cookies, encontrará como fazê-lo na nossa política de cookies.

Definições
Uma equipe. Uma Equipe compõe-se de quinze jogadores que iniciam a partida, mais os reservas, ou suplentes autorizados.
Substituto por lesão. Um jogador que substitui um companheiro lesionado.
Substituto. Um jogador que substitui um companheiro por razões táticas.
3.1 Número máximo de jogadores na área de jogo

Máximo: cada time não deve ter mais do que quinze jogadores dentro da área de jogo durante a partida.

3.2 Equipe com mais jogadores que o permitido
Objeção: em qualquer momento antes o durante a partida, uma equipe pode efetuar uma reclamação ao árbitro a respeito do número de jogadores na equipe adversária. Assim que o árbitro fique ciente que a equipe possui jogadores além do permitido, o árbitro deverá ordenar ao Capitão dessa equipe que reduza o número adequadamente. O placar no momento da reclamação permanece inalterado.

Penalidade: Um chute de pênalti no local onde o jogo deveria reiniciar.

3.3 Quando há menos de quinze jogadores

Uma União pode autorizar a disputa de partidas com menos de quinze jogadores em cada equipe. Quando isto ocorre, se aplicarão todas as Leis do Jogo, exceto a exigência de que cada equipe deve ter pelo menos cinco jogadores no scrum durante toda a partida.

Exceção: as partidas entre equipes de Seven-a-side são uma exceção. Estas partidas serão regidas pelas Variações e pelas Leis do Jogo para partidas de Seven a Side.
3.4 Jogadores nomeados como substitutos

(a)

Para partidas internacionais uma União pode nomear até oito substitutos.

(b)

Para demais partidas a União ou organizador da partida com a jurisdição sobre a partida decidirá quantos substitutos poderão ser relacionados até o máximo de oito.

(c)

A União (ou Uniões, aonde uma partida ou competição é jogada entre equipes de duas ou mais Uniões) pode decidir quantos substitutos podem ser nomeados até um máximo de oito.

(d)

Uma equipe pode substituir até três jogadores da primeira linha (sujeito à Lei 3.5(b) e (c)) e até cinco outros jogadores.

(e)

As substituições só podem se efetuar quando a bola está morta e com a permissão do árbitro.

3.5 Substituições dos jogadores da primeira linha

(a)

É responsabilidade da equipe garantir que todos os jogadores da primeira linha e potenciais substitutos estejam adequadamente treinados. Não cabe ao árbitro determinar se qualquer jogador está adequadamente treinado para jogar na primeira linha.

(b)

A tabela abaixo indica o número mínimo de jogadores da primeira linha de acordo ao número de jogadores na súmula e as obrigações mínimas de substituição:

Tamanho do Plantel
Número mínimo de jogadores de primeira linha na equipe
Deve ser capaz de substituir de solicitado
15 ou menos

3

16, 17 ou 18

4

Qualquer pilar e hooker

19, 20, 21 ou 22

5

Qualquer pilar e hooker

23

6

Pilar direito, pilar esquerdo e hooker

Uma União pode, depois de ter tomado em consideração o bem estar do jogador, modificar o número mínimo de jogadores da primeira linha no time e pode incrementar as obrigações mínimas para substituições em determinados níveis do jogo dentro da sua jurisdição.

Se uma União/Organizador da partida determinou o número de jogadores de um time em 23, e uma equipe só é capaz de nomear duas substituições da primeira linha, então essa equipe só poderá nomear 22 jogadores no seu time.

(c)

Antes de cada partida, cada equipe deve informar ao árbitro quais são os seus jogadores da primeira linha e os potenciais substitutos e só estes jogadores podem jogar na primeira linha quando o scrum é disputado.

(d)

Um jogador substituto da primeira linha pode começar o jogo em outra posição.

Variações
3.6 Scrums sem disputa

(a)

Um scrum torna-se sem disputa, se alguma das equipes não possui em campo um jogador da primeira linha adequadamente treinado ou se o árbitro assim ordenar.

(b)

Uniões/Organizadores de partidas podem determinar quando um jogo pode ou não começar ou continuar com scrums sem disputa.

(c)

Quando um jogador da primeira linha deixa a área de jogo, seja por lesão ou suspensão temporária ou definitiva, o árbitro perguntará nesse momento se a equipe pode continuar com scrums com disputa. Se o árbitro é informado que a equipe não será capaz de disputar o scrum, o árbitro ordenará scrums sem disputa. Se o jogador retorna ou outro jogador da primeira linha ingressa ao campo, os scrums voltarão a ter disputa.

(d)

Em um time de 23 jogadores, ou a critério da União/Organizador da partida, um jogador cuja saída causou que o árbitro ordene scrums sem disputa, não pode ser substituído.

(e)

Se eles estiverem disponíveis, uma equipe deve ter três jogadores da primeira linha na primeira linha o tempo todo. Em um scrum sem disputa, só se permitirá que outro jogador jogue na primeira linha quando não há substituição por lesão ou substituição para primeira linha disponível.

(f)

Se um jogador da primeira linha for suspenso temporariamente, outro jogador deve ser indicado pela equipe para deixar a área de jogo para permitir que ingresse um jogador da primeira linha disponível. O jogador indicado não pode retornar até que o período de suspensão acabe.

(g)

Se um jogador da primeira linha for expulso, outro jogador deve ser indicado pela equipe para deixar a área de jogo para permitir que ingresse um jogador da primeira linha disponível. O jogador indicado pode atuar como substituto.

PROVA DE MODIFICAÇÃO A LEI

(h)

Scrums sem disputa como resultado de uma expulsão, suspensão temporária ou lesão devem ser jogados com oito jogadores de cada equipe.

3.7 Expulsão por jogo sujo

O jogador expulso por Jogo Sujo não deve ser substituído ou substituir outro. Por a exceção a esta Lei, consultar a Lei 3.13.

3.8 Substituição Permanente

Um jogador lesionado pode ser substituído em forma permanente. Se o jogador é substituído de forma permanente, este jogador não deve retornar a jogar nessa partida. A substituição de um jogador lesionado deve efetuar-se quando a bola esteja morta e com permissão do árbitro.

3.9 A Decisão por Substituição Permanente

(a)

Nas partidas em que jogue uma equipe representativa nacional, um jogador deve ser substituído somente quando na opinião de um médico, o jogador esteja lesionado de tal maneira que seria imprudente para esse jogador continuar disputando a partida. 

(b)

Nas demais partidas, em que uma União tenha outorgado uma permissão específica, um jogador lesionado pode ser substituído com o conselho de uma pessoa idônea e com conhecimentos médicos. Se não se encontra presente uma pessoa idônea e preparada em temas médicos, o jogador pode ser substituído se o árbitro estiver de acordo.

3.10 Autoridade do árbitro para impedir que um jogador lesionado continue jogando

Se o árbitro decide – com ou sem o conselho de um médico ou outra pessoa idônea e preparada em temas médicos – que um jogador está lesionado de um modo tal que deveria deixar de jogar, o árbitro pode ordenar que esse jogador deixe a Área de Jogo. O árbitro também pode ordenar a um jogador lesionado que o mesmo deixe o campo para ser examinado.

3.11 Substituição temporária - lesão por sangramento

(a)

Quando um jogador deixa o campo para que se estanque um sangramento, e/ou se cubra uma ferida aberta, esse jogador pode ser substituído de forma temporária.  O jogador que deixar o campo em virtude de sangramento terá o prazo de 15 minutos para retornar ao campo, caso contrário, a substituição será considerada definitiva e o jogador substituído não poderá voltar ao campo de jogo.

(b)

Em partidas internacionais, o médico da partida decidirá se uma ferida é uma ferida sangrenta que requer uma substituição temporária.

(c)

Os cortes menores e raspaduras que não constituam uma ferida sangrenta devem ser tratados em detenções do jogo por outras razões.

(d)

Se o substituto temporário também se lesionar, tal jogador poderá ser substituído.

(e)

Se o substituto temporário for expulso por Jogo Sujo, o jogador substituído não poderá retornar ao Campo de Jogo.

(f)

Se o substituto temporário for advertido e temporariamente suspenso, o jogador suspenso não poderá retornar ao Campo de Jogo até que o período de suspensão termine.

3.12 Substituição temporária - Avaliação de lesão na cabeça

Se, a qualquer momento durante uma partida, um jogador tem uma concussão ou tem suspeita de concussão, o jogador deve ser imediatamente removido do campo de jogo. Isto é conhecido como “Reconhecer e remover”.

Nas partidas de adulto de elite, que tenham sido previamente aprovadas pela World Rugby (conforme as Regulamentações 10.1.4 e 10.1.5) para o uso da avaliação de concussão e de este procedimento de substituição temporária, um jogador que vai ser submetido a avaliação de concussão:

  • Deve deixar o campo de jogo; e
  • Ser temporariamente substituído (mesmo se todas as substituições tenham sido feitas).

Isto é para permitir a avaliação de um jogador no caso em que não foi imediatamente constatado se o jogador tem ou suspeita-se de concussão e deve ser definitivamente removido do campo de jogo.

Quando esse jogador foi temporariamente substituído:

(a)

Se esse jogador não se apresenta a um oficial da partida dentro dos dez minutos (tempo real) a partir do momento que deixa o campo de jogo para se submeter à avaliação de concussão, a substituição se tornará automaticamente definitiva e ao jogador substituído não será permitido retornar ao campo de jogo.

(b)

Se a substituição temporária ocorre dentro dos dez minutos antes do intervalo, a substituição deve tornar-se definitiva, a menos que o jogador substituído retorne ao campo de jogo imediatamente no início do segundo tempo.

(c)

O substituto temporário também pode ser substituído temporariamente se o jogador requer uma avaliação de concussão (mesmo que todas as substituições tenham sido utilizadas).

(d)

Se o substituto temporário for expulso por jogo sujo, o jogador substituído não poderá retornar ao campo de jogo, exceto em conformidade com a Lei 3.5 (Substituições dos jogadores da Primeira Linha) e Lei 3.14 (Jogadores substituídos retornando à partida), e apenas se o jogador for clinicamente liberado para fazê-lo e se apresentar a um oficial da partida na linha da lateral dentro dos dez minutos (tempo real) de ter deixado o campo de jogo para se submeter à avaliação de concussão.

(e)

Se o substituto temporário recebe cartão amarelo e é suspenso temporariamente, o jogador substituído não poderá retornar ao campo de jogo até o período de suspensão finalizar, exceto em conformidade com a Lei 3.5 (Substituições dos jogadores da Primeira Linha) e Lei 3.14 (Jogadores substituídos retornando à partida), e apenas se o jogador for clinicamente liberado para fazê-lo e se apresentar a um oficial da partida na linha da lateral dentro dos dez minutos (tempo real) de ter deixado o campo de jogo para se submeter à avaliação de concussão.

Variações
3.13 Retorno de um jogador à partida

(a)

Um jogador com uma ferida sangrenta que tem um sangrado ativo descontrolado deve deixar a área de jogo. O jogador não deve retornar até que o sangramento esteja controlado e a ferida esteja coberta.

(b)

Um jogador que deixa um jogo por lesão ou por qualquer outra razão não deverá retornar à partida até que o árbitro o permita. O árbitro não deve permitir que um jogador volte à partida até que a bola esteja morta.

(c)

Se um jogador se reintegra ou um substituto temporário/ reserva entre no jogo sem que o árbitro autorize, e o árbitro acredita que o jogador fez isso para favorecer a sua equipe do jogador ou obstruir a equipe adversária, o árbitro deverá penalizar o jogador por má conduta.

Penalidade: Um pênalti será cobrado no local onde o jogo deveria recomeçar.

3.14 Jogadores substituídos retornando à partida

Se um jogador é substituído, só pode retornar ao jogo para substituir:

  • um jogador da primeira linha lesionado de acordo com a Lei 3.5
  • um jogador com uma ferida sangrenta de acordo a Lei 3.11
  • um jogador que sofreu uma concussão de acordo a Lei 3.12
  • um jogador que fica lesionado como resultado de jogo sujo (verificado pelos Oficiais da Partida).
3.15 Substituições sucessivas

Uma União pode implementar substituições sucessivas em determinados níveis do Jogo dentro da sua jurisdição. A quantidade de substituições não deve ser superior a doze. A administração e regras relacionadas com as substituições sucessivas são responsabilidade da União com jurisdição sobre a partida.